Agende uma consulta
  • captcha
Share on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Facebook

Transfusão de sangue: tipos de hemocomponentes e principais indicações

O uso da transfusão de sangue e seus componentes é parte importante do tratamento em algumas condições clínicas. Os principais hemocomponentes, obtidos após etapas diversas do processamento da doação de sangue total, são:
– concentrado de hemácias, composto basicamente por glóbulos vermelhos;
– plasma fresco congelado, composto por proteínas do plasma, cujos principais representantes são os fatores de coagulação;
– concentrado de plaquetas, formado principalmente por plaquetas, que são fragmentos de células responsáveis pelo controle de sangramentos (juntamente com os fatores de coagulação).

Indicações específicas de cada hemocomponente para a transfusão de sangue

A transfusão de concentrado de hemácias tem como principal objetivo propiciar melhora de anemia que, por sua vez, propiciará melhor oxigenação aos tecidos, para pacientes em situações clínicas específicas. Está indicada, em linhas gerais, em casos de anemia intensa (definida como nível de hemoglobina abaixo de 7,0 g/dL) ou quando há uma perda de sangue abrupta, como por exemplo após um acidente ou uma cirurgia de grande porte.

O uso de plasma fresco congelado é reservado para situações em que o paciente apresenta algum distúrbio, detectado por exames, de fatores de coagulação (na presença de sangramento ou antes de procedimento cirúrgico). Vale ressaltar que, para pacientes com doenças congênitas dos fatores de coagulação, como Hemofilias, há produtos industrializados específicos que contêm o fator defeituoso em questão.

Já a transfusão de concentrado de plaquetas está indicada, de modo geral, para pacientes com contagens de plaquetas muito baixas. O valor utilizado para indicar a transfusão é interpretado em conjunto com a situação clínica do paciente, como por exemplo presença de sangramentos ou infecção ativa, e necessidade de realizar procedimento cirúrgico. Pacientes que não apresentam as condições anteriores toleram melhor contagens plaquetárias menores.

Mesmo com um rígido controle de qualidade e diversos procedimentos de segurança realizados nos bancos de sangue, há risco, ainda que baixo, de reações adversas, portanto toda transfusão de qualquer hemocomponente deve ser indicada com cautela.