Agende uma consulta
  • captcha

Radioterapia Externa e Braquiterapia no tratamento de câncer de próstata

Se você acha que tem câncer de próstata, ou possui o diagnóstico desta doença, deve procurar sempre um urologista, que é o medico especialista em doenças do trato genitourinário, e um rádio-oncologista, um médico especializado em tratar doenças com radiação, a fim de discutir as suas opções de tratamento.

 
LEIA O TEXTO ABAIXO E EM CASO DE DÚVIDA ENVIE UM E-MAIL AOS MÉDICOS DO INSTITUTO ABATHON CLICANDO EM “CONTATO”.

 

1) Quem é o paciente com câncer de próstata ideal para a radioterapia?

Qualquer paciente com câncer de próstata localizado é um candidato a receber este tipo de tratamento radical. Os melhores são aqueles saudáveis e que possam se beneficiar de um tratamento local. Devem idealmente possuir uma expectativa de vida de pelo menos 10 anos, e que possam comparecer ao tratamento diariamente por 6 a 9 semanas. Os homens jovens podem tanto se beneficiar da cirurgia como da radioterapia nos casos de câncer de próstata.

 

2) Como a radioterapia mata as células tumorais?

A radiação, seja ela feita de raios-x ou raios-gama, leva a lesão do DNA da células. As células tumorais possuem uma capacidade de se “consertarem” menor do que as células normais, e, desta maneira, enquanto as células normais se regeneram, as tumorais não. Desta maneira as células tumorais acabam por carregar defeitos que levam a sua morte naquele mesmo momento ou após algumas divisões, enquanto as células normais se regeneram.

 

 

 

 

3) Como é determinada a dose de radiação externa para cada paciente?

O rádio-oncologista determina qual é a quantidade certa de radiação baseada no tamanho do tumor, no grau do tumor, no seu estágio, e no quanto é seguro para os tecidos vizinho receberem de radiação.

 

A maneira mais segura de utilizar a radiação para tratar um câncer de próstata é através de incrementos, ou frações, dadas ao longo de várias semanas. Doses elevadas de radiação dadas em um curto intervalo de tempo (por exemplo, em apenas 5 sessões) podem levar a lesão dos tecidos saudáveis vizinhos, sendo seu uso experimental, mesmo com o uso das tecnologias mais avançadas. Usualmente o tratamento dura de 6 a 9 semanas, em aplicações diárias de 15 a 30 minutos, cinco vezes por semana.

 

A unidade de radiação utilizada é chamada Gy (Gray), e mede o quanto de energia é absorvida por quilograma de tecido. Em cada dia de tratamento o paciente recebe usualmente de 1,8 a 2,5 Gy por dia. Parece que todos os pacientes, tanto de baixo quanto de alto risco, beneficiam-se de altas dose de radiação (78- 82 Gy).

 

 

Dr. Icaro Thiago de Carvalho – CRM: 108.274
Rádio-oncologista