Agende uma consulta
  • captcha

Pré-Natal

O que é o pré-natal e qual a sua importância?

O pré-natal compreende a realização de consultas médicas, nas quais o médico obstetra de confiança faz o acompanhamento dos nove meses da gestação. Ele realiza exames, orienta quanto às mudanças no corpo e na mente que estão por acontecer, explicando todos os sintomas e fornecendo a total segurança para um acompanhamento pleno da gestação e do parto.

Na primeira consulta do pré-natal eu sempre pergunto para as mães, você quer que seu filho nasça bem e com saúde? A resposta parece óbvia, mas eu digo, então pode contar comigo e vamos fazer a nossa parte em busca desse sucesso.

Quando devo começar o pré-natal?

Na verdade, o pré-natal deve ser iniciado quando o casal decide engravidar.

O médico obstetra faz uma avaliação clínica do casal, pesquisando doenças pré-existentes, tabagismo, consumo de álcool, obesidade, status de vacinação e solicitando alguns exames. Com isso, é possível fornecer a assistência e orientação necessárias para se engravidar com segurança.

Quantas consultas de pré-natal devo realizar?

Nos primeiros seis meses da gravidez as consultas geralmente são mensais, no sétimo e oitavo mês, a cada duas semanas e no último mês da gravidez, semanais até o parto.

E quanto ao peso, alimentação e atividade física?

O controle do peso durante a gravidez é muito importante. Não se deve engordar mais que 12 Kg durante os nove meses.

A alimentação balanceada associada à prática de atividade física orientada ajuda neste controle, diminuindo muito os riscos para a mãe e para o bebê.

A mulher não deve comer por dois. O ideal não é aumentar a quantidade, mas melhorar a qualidade da alimentação ingerindo frutas, verduras, carnes magras bem passadas e líquidos.

A atividade física é quase sempre benéfica para maioria das gestantes. Ela deve ser avaliada e orientada pelo médico, pois algumas situações como sangramento vaginal, ameaça de parto prematuro, gestantes com problemas cardíacos devem ser levadas em conta. A prática pode ser iniciada já nos primeiros três meses, mas com exercícios respiratórios, relaxamento e correção de postura. A partir do terceiro mês de gestação pode-se associar exercícios como a hidroginástica e yoga, até quase o final da gestação.

A atividade física ajuda muito na diminuição da retenção de líquidos, no alívio das dores lombares e na melhora do equilíbrio emocional da gestante.

Quais são os exames realizados no pré-natal?

Durante o acompanhamento pré-natal a gestante realiza exames de sangue como a Tipagem sanguínea, hemograma completo para avaliar anemia, TSH e T4 livre para verificar a tireóide, glicemia para diabetes, coagulograma para ver se o sistema de coagulação está funcionando adequadamente. Além disso, realiza os exames de sorologias para HIV, sífilis, hepatite B, hepatite C, toxoplasmose, rubéola, citomégalovírus.

Realiza também o exame de urina para afastar infecções urinárias, tão comuns nas gestantes. Além disso, devemos citar também o Papanicolau e a ultrassonografia.

Qual a importância da ultrassonografia?

A ultrassonografia é importantíssima para avaliarmos a saúde do bebê. Num passado não tão remoto, nós médicos e pacientes dispúnhamos apenas do exame clínico para fazermos essa avaliação. Com a evolução da medicina, a ultrassonografia tem nos ajudado cada dia mais. Essa tecnologia é utilizada para fornecer informações simples como o sexo do bebê, além de avaliar aspectos importantíssimos como malformações e doenças congênitas.

A ultrassonografia também serve para acompanharmos o ganho de peso do bebê, o seu líquido amniótico, o desenvolvimento da placenta, além de possibilitar a avaliação do fluxo de sangue que chega ao bebê através do cordão umbilical e que circula dentro do seu corpo (ducto venoso e artéria cerebral média). Hoje em dia não consigo imaginar um pré-natal seguro e tranqüilizador sem esse exame.

Mas quais as principais alterações que podem acometer as gestantes?

Nos primeiros três meses de gestação, o que mais preocupa a gestante é a ameaça de aborto que se manifesta principalmente por cólicas e sangramento. Nesses casos é necessário um controle rigoroso através da dosagem do hormônio da gestação (o ?-hCG) e do exame de ultrassonografia. Com orientação médica, a gestante pode utilizar medicações e restringir suas atividades diárias para tentar evitar esta mal.

Do meio para o final da gestação devemos ficar atentos para a ocorrência de ameaça de parto prematuro, perda de líquido, sangramentos relacionados à placenta baixa ou descolamento de placenta, além dos quadros de diabetes gestacional e pressão alta da gravidez (a pré-eclâmpsia).

Mensagem final.

A gestação é um período de preparação para uma grande mudança. Cheia de surpresas a cada momento e, por isso mesmo, repleta de excitação, expectativas e inseguranças, mas com o estabelecimento de uma relação de confiança e de atenção integral entre o médico e a gestante, mesmo que este caminho a ser percorrido tenha alguns obstáculos, algumas dificuldades, no final, tudo dará certo.

Participar do momento do parto é muito mais que um ato médico, é a oportunidade de ver nascer uma família, provavelmente a experiência mais intensa e inspiradora que a mulher atravessa em toda sua vida. Não é apenas o nascimento de um bebê, mas o renascimento da mulher como mãe.