Agende uma consulta
  • captcha

Mioma Uterino : Causas, Sintomas, Diagnostico e Tratamento

O que é Mioma?
Os miomas, também conhecidos por leiomiomas ou fibromas, são tumores benignos sólidos formados por tecido muscular que crescem na parede do útero.  Apesar de serem chamados de “tumores”, os miomas não aumentam o risco de câncer de útero.

Os miomas podem variar em tamanho e localização. Geralmente apresentam crescimento lento e não causam sintomas.  Aproximadamente 3 em cada 4 mulheres terão um diagnóstico de mioma durante a sua vida, porém a maioria será assintomática. Os miomas são sintomáticos em apenas 25% das mulheres e devem ser tratados somente nestes casos.


Localização

Quanto à localização, podem ser de 3 tipos: submucoso, intramuscular e subseroso.
Submucoso: embaixo da superfície da mucosa do útero, deformando a cavidade endometrial
Intramural: na parede muscular do útero
Subseroso: embaixo do revestimento externo do útero. Podem ser pediculados.


O que causa o mioma?

A causa dos miomas não é bem estabelecida e parece depender de vários fatores, inclusive uma predisposição genética.  A maioria se desenvolve durante a vida reprodutiva, são estrogênio dependentes e tendem a crescer rapidamente durante a gravidez.  Após a menopausa, os miomas tendem a diminuir devido a diminuição da produção de estrogênio. 

Quais são os sintomas ?
Os sintomas dependem da localização do mioma, do número e tamanho dos miomas. Os sintomas mais comuns são:

  • Aumento do fluxo e/ou duração da mentruação
  • Sensação de peso ou pressão em baixo ventre
  • Alterações urinarioas ou gastrointestinais
  • Infertilidade ou abortamento
  • Dor pélvica aguda: acontece em raros casos quando o mioma é pediculado e torce, interrompendo seu aporte sanguíneo ou quando o mioma cresce mais que o seu suprimento sanguineo, diminuindo a chegada de sangue à ele e então o mioma começa a necrosar.

Diagnóstico
O diagnóstico é baseado na história clínica da mulher, no exame ginecológico e na ultrassonografia.

Tratamento
Nas mulheres que não apresentam sintomas, os miomas não necessitam de tratamento porém devem ser acompanhados regularmente por um ginecologista.

Existem várias opções de tratamento, que dependerão da idade da mulher, da localização e número de miomas, desejo de ter filhos, se esta grávida, doenças associadas e sintomas.

  • Medicamento: Uma das opções é o tratamento hormonal com pílulas, injeções ou o DIU de levonorgestrel para tratamento sintomático para diminuir o fluxo menstrual porém não diminuem o tamanho dos miomas. Outra opção são os análogos do hormônio liberador de gonadotrofinas, que diminuem o tamanho dos miomas em até 35 a 60% porém tem efeitos colaterais importantes como perda de massa óssea e sintomas de menopausa e geralmente são usados previamente à cirurgia
  • Cirurgia: pode ser tanto realizada a retirada do útero inteiro (histerectomia) ou do mioma.  Se a histerectomia for realizada, pode ser feito tanto por laparoscopia e via vaginal (cirurgias minimamente invasivas) ou por laparotomia. A retirada do mioma depende da sua localização e pode ser feito tanto por histeroscopia (para miomas submucosos) ou por via vaginal ou abdominal (laparoscopia ou laparotomia)
  • Embolização da artéria uterina: através da artéria femoral, são injetados substâncias que irão ocluir os vasos que nutrem o mioma, interrompendo o seu fluxo sanguíneo.