Agende uma consulta
  • captcha

Infertilidade Masculina

engravidar

1) O que é Infertilidade?

A infertilidade é definida pela Organização Mundial de Saúde como incapacidade de um casal, com vida sexual ativa e sem métodos contraceptivos, obter uma gravidez espontânea em um ano.

Cerca de 15% dos casais não conseguem engravidar no período de um ano.

Dentre esses casais, a infertilidade é causada por um fator masculino isolado em 30 % dos casos, enquanto em outros 20% é causada por um fator masculino e feminino combinados.

 

2) Quais são as causas de infertilidade masculina?

Diversos são os fatores que podem reduzir a fertilidade masculina:

  • Fatores Congênitos : criptorquidia, ausência de testículo e ausência Congênita dos vasos deferentes
  • Anormalidades Urogenitais adquiridas : obstrução do deferente ou epidídimo ( pos vasectomia ), torção testicular, tumor testicular, orquite.
  • Infecções do trato urogenital
  • Aumento da temperatura escrotal: Varicocele
  • Distúrbios hormonais
  • Anormalidades Genéticas
  • Fatores imunológicos (doenças autoimunes)
  • Doenças sistêmicas: Câncer, diabetes, insuficiência hepática, insuficiência renal, hemocromatose
  • Fatores exógenos: medicamentos, toxinas e irradicação
  • Hábito de vida: obesidade, tabagismo, drogas e uso de anabolizantes

Em 30-40% dos casos apesar da avaliação do espermatozóide (espermograma) ser alterada a causa da infertilidade não é encontrada. Nesse casos a infertilidade é denominada Idiopática.

 

3) Como deve ser a avaliação de um homem com infertilidade ?

A melhor conduta é encaminhar o casal para avaliação médica especializada com Ginecologista e Urologista . No caso do homem o medico Urologista deverá avaliar pela história clínica e exame físico todos os fatores que podem estar relacionadas a infertilidade masculina (vide questão 2) e, baseados nessa avaliação solicitar exames complementares.

Dentre os exames complementares normalmente solicitados o exame inicial é o Espermograma – exame para avaliar a quantidade e qualidade do espermatozoide, que se houver alterado deve ser repetido.

Investigação hormonal, Infecciosa, Genética, Ultrassonografia do testículo e biópsia testicular fazem parte dos exames mais comumente solicitados.

 

4) Quais são os tratamentos para infertilidade masculino ?

O tratamento depende da causa do problema, por isso uma avaliação médica adequada é fundamental.

Os tratamentos são basicamente Orientação, uso de Medicações e tratamento Cirúrgico

  • Orientação – aconselhamento de suspensão do uso de drogas ilícitas, anabolizantes, tabagismo, álcool . Evitar hábitos que aumentem a temperatura escrotal como roupas térmicas, saunas, banhos de banheira ; dietas para correção da obesidade.
  • Medicações : usadas principalmente nos casos de infecção do trato urogenital e desordens hormonais (endocrinológicas)
  • Procedimentos Cirúrgicos : os tratamentos cirúrgicos estão indicados nos casos de Varicocele (vide texto varicocele) e reversão da vasectomia (vide texto reversão de vasectomia), incisão transuretral dos ductos ejaculadores nos casos de obstrução dos ductos ejaculadores junto a uretra prostática.

 

5) Não tenho espermatozóide no ejaculado (Azoospermia). O que posso fazer?

A ausência de espermatozóide no ejaculado é definido com azoospermia e deve ser dividida em dois grupos de diagnósticos:

  • Azoospermia obstrutiva – o testículo produz espermatozóide mas por um problema de drenagem o mesmo não é eliminado . São exemplos desse tipo de problema : pós vasectomia, pós cirurgia de retirada da próstata, ausência dos ductos deferentes.
  • Azoospermia não obstrutiva – há déficit na produção do espermatozóide no testículo causado por um problema intrínseco do testículo, fatores externos como deficiências hormonais e problemas genéticos.

Se caso não for possível reverter o problema citado existem métodos para obtenção dos espermatozóides e posterior utilização nos tratamentos de reprodução assistida.

Esses métodos são:

  • MESA (Microsurgical Epididymal Sperm Aspiration) – extração do espermatozóide por abertura cirúrgica do epididimo.
  • PESA (Percutaneous Epididymal Sperm Aspiration) – extração do espermatozóides por punção dos epidídimos.
  • TESE (Testicular Sperm Extraction) – extração dos espermatozoides por abertura cirúrgica do testículo.
  • TESA (Testicular Sperm Aspiration) – extração dos espermatozóides por punção do testículo.

* Em 50-60% dos casos de azoospermia não obstrutiva é possível encontrar espermatozóides nos testículos .

 

6) Não tenho ejaculação. O que posso fazer?

Anejaculação ou Ejaculação retrograda podem ocorrer:

  • Doenças neurológicas como esclerose múltipla, lesões medulares e Diabetes
  • Apos cirurgias de próstata, colo da bexiga e cirurgias retroperitoneais
  • Tratamento com antidepressivo

O tratamento nos casos de ejaculação retrograda tem como obejtivo reverter a causa do problema ou obtenção do espermatozóide na urina apos orgasmo.

Nos casos de anejaculação vibroestimulação ou eletroejaculação podem ser usadas com sucesso de até 90% nos pacientes com lesões medulares.

 

7) Como faço para ter filhos?

Essa é a resposta que os homens mais querem saber durante a consulta com o Urologista.

Para ter filhos o primeiro passo é avaliar o que está prejudicando a fertilidade – Causa do problema e tentar corrigi-la.

Se isso não for possível ou o tratamento não for bem sucedido técnicas de reprodução assistida devem ser recomendados.

O primeiro passo é procurar profissionais especializados qualificados para esse problema.

 

A clínica conta com uma equipe multidisciplinar formada por Ginecologista, Urologista, Geneticista, Endocrinologista, Hematologista, Radiologista, Nutricionista e Psicólogo, qualificados para atender esse tipo de problema.