Agende uma consulta
  • captcha
Share on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Facebook

Especialista em Coluna escreve sobre Cervicalgia – Dor Cervical

A dor cervical é uma das dores mais comuns do sistema musculoesquelético, atingindo cerca de 9,5 a 22% da população. Esta dores podem ser irradiadas ou não para  os membros superiores, além de poderem estar associadas ou não a dor de cabeça (cefaléia).  As dores cervicais podem ser causadas por muitas patologias especificas como tumores , infecções, doenças inflamatórias ou reumatológicas, sequelas de traumas e até doenças congênitas. Na maioria das vezes, no entanto, nenhuma causa orgânica especifica pode ser encontrada e os sintomas costumam ser muito inespecíficos. A dor cervical pode se originar de alterações degenerativas decorrentes do envelhecimento das estruturas da coluna cervical como discos , facetas e ligamentos.

Padrões de Dor Cervical

O paciente com dor cervical pode ter vários padrões de dor diferentes. A dor pode ser puramente na face posterior do pescoço, ou pode acometer apenas um dos lados do músculo trapézio, supraespinhosos, rombóide e escalenos. Como dito antes, pode apresentar irradiação para todo ou parte dos membros superiores e ocasionar dor de cabeça. Em alguns casos, pode acometer até mesmo a parte inferior da mandíbula e os dentes.

Os pacientes com dor cervical em geral tem algum tipo de alteração na ergonometria do trabalho ou em suas atividades diárias. Pacientes que trabalham com funções associadas a posturas fixas como dentistas, cirurgiões, pessoas que ficam muitas horas trabalhando em computadores ou com postura em flexão do pescoço como manicures estão sujeitas a episódios frequentes de dor cervical. Atualmente, tem crescido o número de casos associado ao uso do celular  com postura incorreta por tempo prolongado.

Dor Cervical associada a outras síndromes

A dor cervical pode vir associada a outras síndromes muito comuns como tendinites e bursites, principalmente dos ombros, fibromialgia e outras síndromes miofasciais (dores musculares) como a clássica síndrome miofascial do músculo rombóide. É muito difícil diferenciar as dores musculares das dores cervicais por conta das alterações degenerativas encontradas muitas vezes nos dois pacientes.

Outra causa comum da dor cervical crônica é a síndrome do chicote. Pacientes que foram submetidos a acidentes com algum tipo de movimento tipo chicote (aceleração e desaceleração) podem desenvolver dor crônica, associada a algum tipo de fibrose intramuscular.

Apesar da maioria dos episódios de dor cervical se resolverem em até 10 semanas, em até 10-35% a dor se torna crônica afetando profundamente a qualidade de vida do paciente.