Agende uma consulta
  • captcha

Prevenção de Câncer de Mama, o exemplo de Angelina Jolie

Por que algumas pessoas tem maior risco de ter câncer que outras?

O câncer é uma doença que surge de múltiplos fatores, os fatores ambientais como irradiação, tabagismo, etc. são bastante conhecidos e evitáveis. No entanto os fatores genéticos são muitas vezes desconhecidos para a grande maioria das pessoas.

Após a descoberta do genoma humano no começo do século 21 conseguimos descobrir que alterações (mutações) em alguns genes podem levar a doenças graves. Câncer é uma destas doenças. Dentro de todos os casos de câncer de mama e câncer de intestino até 20% destes são familiais, o que significa que nestas famílias os pacientes com câncer já possuem desde o nascimento algum gene com uma mutação que predispõem a um maior risco de ter o câncer ao longo da vida.

Como descobrir se eu tenho risco genético aumentado para câncer?

Hoje os médicos já podem solicitar testes para genes de risco para câncer. Em geral os testes são específicos para cada tipo de câncer, por exemplo, câncer de mama, câncer de intestino ou sarcomas, etc. Alguns laboratórios também oferecem um painel ampliado para diversos tipos de câncer. No caso de câncer de mama os principais genes de risco são o BRCA1 e BRCA2, que conferem um risco de até 80% de ocorrer câncer de mama ou ovário na mulher.

Quando está indicada cirurgia (mastectomia profilática) para reduzir o risco de câncer?

Mulheres com risco aumentado para câncer de mama ou ovário, quer seja porque o teste genético confirmou uma alteração ou quer seja porque o número de casos de câncer na família é muito alto, devem inicialmente realizar um acompanhamento diferenciado com exames do tipo mamografia, ultrassom e outros. Em seguida, avaliando as características de cada paciente podem também ser oferecidos medicamentos que reduzem o risco para o câncer de mama.

Em última instância, devido aos riscos de complicações cirúrgicas, apenas para pacientes que preencham múltiplos critérios como os de não desejar mais ter filhos, possuir uma mutação em um gene de risco (como no caso do gene BRCA1 em Angelina Jolie) e que aceitem a cirurgia como uma forma de reduzir seu risco é que será discutido em cada caso se há ou não indicação para mastectomia profilática e/ou salpingo-ooforectomia preventivas. Lembrando que desde a opção pela cirurgia até a cirurgia em si, estas mulheres devem ser assistidas por uma equipe com múltiplos profissionais como geneticista, psicólogo, mastologista, cirurgião plástico entre outros.

Quem deve ser testado?

Pacientes que possuem em suas famílias dois ou mais casos de câncer, principalmente em pessoas não idosas ou formas muito agressivas de câncer devem procurar um médico para avaliação do risco. No caso de câncer de intestino pode-se procurar um geneticista ou coloproctologista.

Mais especificamente no caso de câncer de mama, pacientes que tem na família:

– Dois ou mais casos de câncer de mama;

– Um caso em um parente com menos de 45 anos;

– Câncer de mama em um homem;

– Casos de câncer de ovário;

Devem procurar um geneticista ou mastologista para que seja avaliado o risco do paciente e que seja discutida a realização ou não do teste genético.

Guilherme Lopes Yamamoto
Jonathan Yugo Maesaka