Agende uma consulta
  • captcha

Acne

acne

O que é acne?

A acne é uma inflamação crônica da pele que se inicia ao redor dos pelos, provocada por uma combinação principalmente de (1) excesso de oleosidade; (2) alteração da descamação das células da pele; (3) aumento das células inflamatórias e (4) bactérias.

Quais as causas da acne?

A acne ocorre com frequência na adolescência, entre os 14 e 17 anos nas meninas e entre 16 e 19 anos nos meninos. Nessa fase o corpo passa a produzir maior quantidade de hormônios que promovem o desenvolvimento dos órgãos sexuais, crescimento e espessamento de pelos de algumas regiões do corpo, além de aumentarem a produção de sebo pelas glândulas sebáceas. Essas glândulas eliminam sua secreção junto à saída dos pelos e são encontradas em maior quantidade na face, couro cabeludo, tórax e costas. O excesso de sebo dificulta a descamação das células da pele, que se aderem e formam acúmulos obstruindo os poros, originando os cravos.

Uma vez bloqueada a liberação do sebo, o excesso de oleosidade se acumula na pele e desencadeia inflamação local, que se manifesta com o aparecimento de lesões elevadas e arredondadas, avermelhadas ou com pontos amarelados, conhecidas como espinhas.

Algumas bactérias encontram nesse ambiente as condições ideais para se multiplicarem e, com isso, intensificam a inflamação da pele. Nessa fase, observa-se a presença de espinhas maiores, dolorosas, às vezes com saída de secreção e que demoram a desaparecer. Podem surgir ainda manchas e cicatrizes nas regiões onde a acne surgiu.

Espinhas também podem aparecer em outras fases da vida, como em bebês recebendo leite materno, por passagem de hormônios da mãe para o leite. Uso de medicações que aumentam a oleosidade da pele como corticosteróides orais, vitaminas do complexo B, anabolizantes e alguns quimioterápicos por vezes desencadeiam o surgimento de acne.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico da acne é feito através do exame dermatológico. Exames laboratoriais adicionais podem ser úteis para investigação da causa da acne, quando a mesma se inicia fora da adolescência. Também são indicados nos casos em que a acne se acompanha de outros sinais como irregularidade menstrual, infertilidade, aumento de pelos no corpo e obesidade, pela possível associação com a síndrome de ovários policísticos.

Quais são os tratamentos para acne?

Embora possa ser transitória e apresentar melhora gradual entre dos 20 aos 25 anos, a acne pode não só persistir até a idade adulta como também produzir cicatrizes. Nesse sentido, o tratamento tem por objetivo controlar o surgimento de espinhas e de marcas permanentes na pele. Baseia-se na combinação de medicamentos, de cuidados com a pele para combater os fatores que desencadeiam espinhas e de persistência, pois a resposta ao tratamento pode ser lenta.

Ácidos sob a forma de creme, gel-creme ou gel são utilizados para diminuir a produção de sebo e a formação de cravos. Antibióticos de aplicação na pele ou por via oral são indicados para controle das bactérias, além de possuírem ação antiinflamatória. A associação de sabonetes adequados auxilia na remoção do excesso de oleosidade. Protetores solares não oleosos e que não obstruem os poros (não comedogênicos) são também importantes no tratamento, prevenindo a formação de manchas nas regiões com espinhas. Casos mais intensos ou que não melhoram com tratamento de uso local podem necessitar de ácido por via oral (isotretinoína), que deve ser realizado sob supervisão de um dermatologista e com exames laboratoriais periódicos de controle.

Mitos e verdades sobre acne

Alimentação pode interferir no surgimento de espinhas?

Talvez. Ainda não há um consenso quanto a influência da alimentação na acne. Alguns estudos científicos sugerem que uma dieta com menos alimentos ricos em carboidratos de rápida digestão (pão, bolacha, macarrão, por exemplo) pode reduzir a liberação de hormônios que aumentam a oleosidade da pele, diminuindo a gravidade da acne.

Espremer as espinhas faz com que elas desapareçam mais rápido?

Não. Quando esprememos uma espinha, a inflamação da pele aumenta e isso pode retardar a melhora, além de aumentar os riscos de formação de cicatrizes.

Outras pessoas na minha família tiveram acne. Tenho maior risco?

Sim. A formação de cravos e o excesso de oleosidade podem ter influência genética.

Sol melhora a acne?

Não existe confirmação científica dessa teoria. Além disso, a exposição solar excessiva aumenta o risco de câncer de pele.

Estresse piora a acne?

Provavelmente sim. Durante períodos de estresse emocional há maior liberação de substâncias chamadas neuropeptídeos que podem contribuir para a formação de mais espinhas.

Cosméticos e maquiagem são contraindicados no caso de espinhas?

Bases, corretivos e hidratantes muito oleosos podem piorar a acne, por obstruírem os poros e aumentarem a formação de cravos e, consequentemente, de espinhas. Por esse motivo, devem ser evitados. O ideal é dar preferência a produtos não oleosos, não comedogênicos.