Artigos
   

    Prostatectomia Radical Aberta (Convencional)

Por Dr. Fábio Ortega CRM: 112039

Urologista pela USP

Leia mais: currículo e contato do médico clicando aqui.


LEIA O TEXTO ABAIXO E EM CASO DE DÚVIDA ENVIE UM E-MAIL AOS MÉDICOS DO INSTITUTO ABATHON CLICANDO EM “CONTATO”.


A Prostatectomia Radical Aberta tem como acesso a via abdominal- retropúbica,ou seja, normalmente realizada através de uma incisão (corte) entre o umbigo e o osso da pelve chamado púbis.

Iniciou no século XX mas foi aprimorada para a técnica até hoje seguida no início da década de 80 pelo Urologista Patrick Walsh. Por ser mais antiga é a técnica com resultados com maior tempo de seguimento quando comparada com as outras.


Esse acesso tem como vantagem oferecer boa visualização dos vasos, nervos e dos linfonodos (diferente da prostatectomia perineal) permitindo a linfadenectomia, quando indicada, pelo mesmo acesso.


Além disso, através da incisão realizada, o cirurgião pode colocar a mão no interior da cavidade abdominal e sentir (com o tato) a consistência das estruturas auxiliando a realização do procedimento.


Diferente disso, na cirurgia robótica não há sensação táctil e na videolaparoscópica existe um pouco de sensação táctil através dos instrumentos mas é menor que a cirurgia aberta.


As desvantagens dessa técnica são:

  • menor visibilidade comparada as cirurgias videolaparoscópica e robótica.
  • Complicações decorrentes da grande incisão: maior taxa de sangramento, dor no pós operatório, tempo de recuperação, hérnia incisional.


Em razão do custo do procedimento, dificuldade de treinamento das técnicas minimamente invasivas e,por isso, maior experiência dos Urologistas no procedimento aberto quando comparado aos procedimentos videolaparoscópicos e robóticos , no Brasil, diferente dos Estados Unidos e Europa , a Prostatectomia Radical Aberta ou convencional é o tratamento cirúrgico mais realizado para o tratamento do Câncer de Próstata localizado.